Recuperação pós-covid: a Educação Física como ferramenta na reabilitação dos pacientes infectados

Categorias

Compartilhar

Por Ana Clara Jovino 12.04.2021

  • Ouça este conteúdo

    Em entrevista ao Portal Fortaleza Cidade Amiga do Idoso, o Presidente da Comissão de Educação Física e Saúde do Conselho Regional de Educação Física da 5a Região (CREF5-CE), Adriano Loureiro, explicou que o profissional de educação física é fundamental

     

    A pandemia da Covid-19 evidenciou a importância de ter uma boa saúde (física e mental) e um dos métodos para manter a qualidade de vida nesse sentido é a prática de exercícios físicos. Movimentar o corpo é fundamental para prevenir doenças, pois auxilia a manter o bom funcionamento do coração, circulação sanguínea, além de ser favorável para a respiração e para os hormônios.Para enfatizar a relevância das atividades físicas, a UNESCO, Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, lançou recentemente um estudo que reconhece a prática de educação física como ferramenta na prevenção e recuperação dos jovens durante a pandemia do coronavírus.

    De acordo com o estudo, a atividade física ajuda tanto na prevenção quanto na recuperação dos pacientes que contrairam a Covid-19. No caso dos idosos, que é um grupo mais vulnerável e favorável a ter complicações do novo coronavírus, a educação física também é uma grande aliada na hora da reabilitação, já que trabalha as funções motoras, que podem ser afetadas na infecção.

    O Presidente da Comissão de Educação Física e Saúde do Conselho Regional de Educação Física da 5a Região (CREF5-CE), Adriano Loureiro, explica que o profissional de educação física é fundamental, porque é quem mais entende de atividade motora, de exercícios físicos e de programa de recuperação para o aumento da força.

    Adriano ainda salienta que os pacientes, que normalmente ficam acamados durante quarentena, tem duas principais complicações: o pulmão debilitado, por ser o órgão predominantemente atingido, além do comprometimento das funções motoras.

    Flávio Cordeiro, coordenador do Eixo Esporte Amigo do Idoso, enfatiza a importância do acompanhamento do profissional de educação física

    “Como essas pessoas ficam deitadas por muito tempo, existe atrofia muscular. Assim, a capacidade funcional é diminuída, o que não é favorável para a reabilitação pulmonar. Na verdade, os pulmões trabalham em função da atividade motora, então quando eu aumento minha atividade motora, eu aumento a minha atividade respiratória, quando eu diminuo minha atividade motora, eu diminuo minha atividade respiratória”, explica.

    O profissional de educação física e coordenador do Eixo Esporte Amigo do Idoso, Flávio Cordeiro dos Reis Junior, enfatiza que para os idosos que estão em recuperação da covid-19, é necessário cuidado redobrado na hora de passar os exercícios.

    “No caso dos idosos, temos que ter bastante cuidado porque os pacientes estão fracos, cansados, ofegantes e importantes partes do corpo podem estar comprometidas, então os exercícios devem ser de intensidade baixa ou moderada, sempre respeitando as limitações dos mesmos, é interessante caminhadas e exercícios com pesos bem leves, são os mais indicados nesse período”.

    Por causa disso, Flávio ressalta que a prática de exercícios pode ser um grande desafio, por isso é importante sempre ter o acompanhamento de um profissional de educação física.

    Veja também:

  • Envelhecimento pós-covid: quais as consequências da infecção em idosos que se recuperam
  • Nova fase de vacinação começa para idosos de 74 anos
  • Recuperação pulmonar de idosos acometidos por Covid 19: o que você precisa saber