Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso na vanguarda do cultivo sustentável com ampliação de hortas sociais

Categorias

Compartilhar

Julyanna Santos 28/06/2021

O que parecia ser impossível de acontecer em grandes metrópoles, é realidade em muitas cidades, inclusive em Fortaleza.

Uma maneira revolucionária de plantar, colher e melhorar hábitos alimentares, trazendo benefícios para o corpo, realizando a inclusão social e transformando a vida de milhares de pessoas; essas são algumas das características das hortas sociais urbanas.

Em Fortaleza, desde 2016, quando foram instituídas as Hortas Sociais do Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso, uma nova forma de promover saúde começou a ser gestada.

Possibilitando maior convívio social, além de promover um ambiente saudável, o espaço das hortas constitui-se, ainda, como importante instrumento pedagógico, fomentando atividades de educação ambiental e de ações terapêuticas para as pessoas idosas.

A produção de alimentos para o consumo direto das famílias envolvidas, descomprime os gastos com esses produtos e estimula a alimentação saudável, infelizmente, ainda inacessível para grande parcela da população.

Atualmente, em Fortaleza, 3 hortas sociais – localizadas no conjunto Ceará (2) e Granja Portugal (1), bairros de baixo IDH – produzem hortaliças (couve manteiga, alface, coentro e tomate cereja), em um plantio 100% natural, com irrigação automatizada – por gotejamento e plantadas no sistema de vasos (fibra de coco estéril). Cada estufa tem 750 m².

Em outubro do ano passado, a Prefeitura de Fortaleza assinou ordem de serviço para construção de mais 6 hortas sociais.

As obras das novas hortas estão sendo realizadas pela Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf), sob o comando do Secretário Samuel Dias. O investimento, da ordem de aproximadamente R$ 2,9 milhões, coloca, definitivamente, Fortaleza na vanguarda do cultivo sustentável.

Visita do Secretário Municipal da Infraestrutura, Samuel Dias, a uma das nossas Hortas Sociais, em Julho de 2020. Ao seu lado, Cel. Sérgio Gomes, Gestor da Coordenadoria do Idoso da Prefeitura de Fortaleza.

Para conversar sobre o andamento das obras e o impacto social da iniciativa, o Portal Fortaleza Cidade Amiga do Idoso entrevistou Samuel Dias, engenheiro civil formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestre em Recursos Hídricos pela COPPPE/URFJ, atual Secretário Municipal da Infraestrutura de Fortaleza (Seinf). Confira:

Portal Fortaleza Cidade Amiga do Idoso – Qual a importância do Projeto Fortaleza Amigo do Idoso, um projeto do Núcleo de Produções Culturais (Nuproce) em cogestão com a Prefeitura de Fortaleza?

Samuel Dias – Eu costumo dizer que o projeto Fortaleza Amigo do Idoso tem sido um gerador de autonomia e autoestima para o idoso, sendo responsável pelo o “empoderamento” desses cidadãos, que têm sido valorizados, úteis e que atualmente desenvolvem projetos em coletividade, como comunidade, tendo participação efetiva no processo democrático, exercendo a cidadania e percebendo qual o papel deles na sociedade.

Portal Fortaleza Cidade Amiga do Idoso – As políticas públicas para idosos, implementadas nas duas gestões do Pref. Roberto Cláudio, continuam na gestão Sarto. Qual a importância dessas políticas públicas para os idosos da nossa cidade?

Samuel Dias – O tema velhice não pode ser despolitizado no país. O município, nas duas gestões do prefeito Roberto Cláudio e agora com o prefeito José Sarto, sempre teve (e tem) um olhar carinhoso para com o idoso. O projeto Fortaleza Amigo do Idoso, vem desenvolvendo políticas públicas gerando novas perspectivas para os cidadãos da melhor idade, com a implantação das Hortas Sociais, do projeto Esporte Amigo do Idoso e outras ações de incentivo ao esporte, bem-estar e educação. O gestor precisa enxergar e incluir o idoso como protagonista em projetos e ações, para que ele exerça um papel ativo na sociedade e para que a sociedade trate o idoso com mais respeito e dignidade.

Portal Fortaleza Cidade Amiga do Idoso – O prefeito Roberto Cláudio assinou, em outubro de 2019, a ordem de serviço de mais seis estufas do projeto Hortas Sociais em Fortaleza. Ao seu ver, qual a importância da ampliação das hortas e qual o impacto positivo na vida dos idosos?

Samuel Dias – Além de ser incentivo à agricultura familiar urbana e estímulo ao convívio social dos idosos, as Hortas Sociais têm ampliado e melhorado a qualidade de vida dos cidadãos da melhor idade, garantindo a qualidade alimentar dessas famílias, que hoje tem sido muito mais diversificada e saudável.

Portal Fortaleza Cidade Amiga do Idoso – As obras das novas hortas serão realizadas pela Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf). O investimento será de aproximadamente R$ 2,9 milhões. Como está o seu andamento? É possível antecipar alguma informação acerca da implementação dessas hortas?

Samuel Dias – Neste ano de 2021, o Prefeito José Sarto assinou a Ordem de Serviço para a construção da estufa do bairro Conjunto Palmeiras, que já teve obras iniciadas e contará com mais de mil metros quadrados de área com infraestrutura completa para a produção das hortaliças. Até o segundo semestre deste ano, daremos início à construção de mais cinco novas estufas na Capital, beneficiando os bairros: Jacarecanga, Ancuri, Jardim Iracema, Pedras e Jardim das Oliveiras

Portal Fortaleza Cidade Amiga do Idoso – A infraestrutura é muito mais que construir e levantar prédios e estufas. Ela é meio. Qual a sua visão sobre espaços, como os das hortas sociais, para a qualidade de vida e para o futuro das cidades?

Samuel Dias – As hortas urbanas já são realidade em diversas cidades em todo o mundo e vem crescendo bastante no Brasil, sendo bastante utilizada por urbanistas em novas edificações. Hoje o modelo vem sendo aplicado em terraços de prédios, nas varandas em formatos verticais, em pequenos espaços de quintais e em comunidades carentes, onde os próprios moradores ajudam no plantio e repartem democraticamente a colheita. Já a horta social urbana, com a participação da população em todo o processo e distribuição gratuita, este modelo tem sido ainda pouco praticado no Nordeste.

A cidade de Fortaleza, tem sido “case” nesse formato, ampliando o projeto e levando a prática para outras regiões da Capital. Em termos de infraestrutura, as Hortas Sociais utilizam um método construtivo fácil, rápido e relativamente barato. O investimento maior está no resultado final, no impacto do projeto na vida das pessoas. Para mim, mais gratificante que ver a obra concluída é perceber como a cidade recebe o produto final e como ele impacta positivamente, transformando a vida dessas pessoas.