Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso é abordado em pesquisa acadêmica sobre envelhecimento feminino

Categorias

Compartilhar

Por Ana Clara Jovino 18.02.2021

Amanda Maria Teles Leandro concluiu o curso de Serviço Social na Faculdade Cearense em 2020

Envelhecer é um processo natural da vida, mas ao mesmo tempo pode ser encarado como assustador e cheio de desafios, por homens, mas principalmente pelas mulheres. Apesar de que as dificuldades enfrentadas por ambos os sexos sejam comuns, como maior risco de doenças, existem algumas adversidades que afetam as mulheres de maneira mais intensa, como as cobranças para seguir padrões de beleza e comportamento.

Por causa disso, é importante abordar o envelhecimento feminino com a consideração justa. Pensando nisso, a assistente social Amanda Maria Teles Leandro, resolveu realizar o seu trabalho de conclusão de curso com o tema “Envelhecimento Feminino: As percepções das Idosas do Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso”.

Em sua pesquisa, Amanda propôs conhecer como as mulheres idosas vivenciam o envelhecimento nos dias de hoje. Teve como objetivos específicos: conhecer as atitudes e desafios na busca pelo envelhecimento longo e saudável; identificar as diversas características das mulheres que estão envelhecendo; entender quais as perspectivas dessas mulheres em relação ao envelhecimento; conhecer as conquistas e direitos dos idosos através dos aparatos legais.

Amanda concluiu o curso de Serviço Social na Faculdade Cearense em 2020. A assistente social explica que foi um desafio executar o trabalho no contexto de pandemia, para encontrar mulheres com o perfil necessário para a contribuir na pesquisa, foi quando conheceu o projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso nas redes sociais e viu o lugar ideal para encontrar suas interlocutoras.

Em sua pesquisa, Amanda propôs conhecer como as mulheres idosas vivenciam o envelhecimento nos dias de hoje. A imagem mostra idosas beneficiadas do projeto no plantio da horta social realizado antes da pandemia.

A pesquisa foi qualitativa, do tipo bibliográfica, documental e de campo. Teve como técnica de coleta de dados a entrevista semiestruturada. As interlocutoras foram idosas do projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso. Todo o processo e contato com as fontes foi feito de maneira remota. Amanda ainda revela que com a pesquisa, pode perceber o quanto as idosas prezam pela qualidade de vida, pela independência e liberdade.

“É muito importante que nós, como sociedade buscamos ajudar das melhores formas proporcionando assim uma sensação de respeito, cuidado e inclusão. É nítido o quanto o projeto beneficia esses idosos nos mais diversos âmbitos, já que em plena pandemia o projeto continuou bastante atuante através de suas redes sociais”, conclui a assistente social.

As categorias pesquisadas pela assistente social foram: envelhecimento feminino e políticas públicas. Nos resultados conclui-se que o Brasil é rico em legislações voltadas para os idosos, mas é carente na efetivação dessas políticas. As idosas estão buscando envelhecer da melhor forma possível, tendo hábitos saudáveis visando uma qualidade de vida. É nesse contexto que o projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso, um guarda chuva de ações compartilhadas que objetivam fomentar o envelhecimento saudável e a qualidade de vida através da prática esportiva de baixo impacto, da inserção no mundo digital, da segurança alimentar e da difusão de ações positivas sobre longevidade ativa e saudável, vem se tornando referência nacional como política pública para pessoa idosa.