Por Julyanna Santos 22/01/2021

Cada vez mais a alimentação tem estado no centro das discussões quando o assunto é saúde e seu consumo adequado deve ser encarado como política pública.

Acentua-se a compreensão de que saúde é um aspecto mais abrangente, que vai além da prevenção e da cura de doenças.

Vários pesquisadores ao redor do mundo estão buscando identificar os impactos da alimentação, entendendo que o ato de comer tem caráter de medicalização.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), em seu documento intitulado “Estratégia Global em Alimentação Saudável, Atividade Física e Saúde”, lançado na 57ª Assembléia Mundial da Saúde, salienta que doenças como, por exemplo, as cardiovasculares, o diabetes tipo 2 e determinados tipos de câncer, devem-se a insuficiente ingestão de frutas, verduras e legumes, além da falta de atividade física e o consumo do tabaco.

Um enfoque integrado das causas da má alimentação e da diminuição da atividade física contribuiria para reduzir a intensidade dessas doenças no futuro.

Nutricionista Ana Paula: “a alimentação é potencialmente capaz de abarcar componentes de felicidade, e de bem-estar para pessoas de todas as idades.”

A questão alimentar e nutricional está relacionada com aspectos sociais, culturais, políticos e econômicos. Infelizmente, a maioria da população não pode acessar importante variedade de alimentos para uma dieta rica e saudável.

A Nutricionista Ana Paula Bezerra, doutoranda em Biotecnologia (UECE), destaca a problemática: “Esse é um dos principais entraves para uma vida saudável, além da falta de conhecimento sobre uma nutrição correta. Como vamos propor uma dieta rica se faltam condições financeiras para a compra dos produtos? Como vamos propor uma dieta rica se falta conhecimento sobre a importância de uma boa alimentação?”.

Por isso, políticas públicas que estimulem o fácil acesso a alimentos saudáveis, são primordiais para as próximas gerações e para o futuro da humanidade, entendendo que a alimentação adequada é um direito humano.

É preciso adotar políticas e estratégias sustentáveis de produção, distribuição, acesso, consumo de alimentos seguros e de qualidade, promoção da saúde e da alimentação adequada e saudável.

Cel. Sérgio Gomes na Horta Social do Conjunto Ceará: “orgulho em fazer parte”.

O Cel. Sérgio Gomes, Coordenador Especial de Idosos da Prefeitura de Fortaleza, reforça essa ideia: “veja, estamos, todos os dias, promovendo esse acesso. As nossas hortas sociais são exatamente para dizer: é possível comer bem; é possível ser saudável. E assim, contribuímos para uma outra perspectiva sobre a alimentação.”

No entanto, pequenas mudanças de atitude já podem trazer repercussão na vida das pessoas idosas.

Ana Paula Bezerra, a pedido da reportagem do Portal Fortaleza Cidade Amiga do Idoso, elencou algumas boas iniciativas:

  • Evitar alimentos e bebidas industrializadas;
  • Reduzir o consumo de sal e açúcar;
  • Comer vagarosamente, mastigando bem os alimentos;
  • Controlar a ingestão de gorduras e utilizar óleos mais saudáveis como o azeite de oliva;
  • Preparar pratos de fácil digestão, cortando alimentos em pedaços pequenos ou processados;
  • Hidratar-se bem e vagarosamente;
  • Controlar o peso e os níveis de colesterol;
  • Consultar-se regularmente com um geriatra.

Lembre-se: a alimentação é potencialmente capaz de abarcar componentes de felicidade, e de bem-estar para pessoas de todas as idades.

Saiba mais sobre as Hortas Sociais

Hortas Sociais é um projeto com objetivo de promover a garantia de segurança alimentar, incentivo à agricultura familiar urbana e estímulo ao convívio social de famílias de idosos em situação de vulnerabilidade social, por meio da produção de tomates cereja e hortaliças. Os ciclos compreendem três meses de produção. Toda a produção é doada às famílias cadastrados no projeto. O projeto provê os insumos, os equipamentos e o a mão-de-obra qualificada para as hortas.

MATÉRIAS RELACIONADAS

logo

Contato

E-mail:
[email protected]
Telefone: +55 (85) 3013-5797
Endereço: Rua B, 17 – Eng Luciano
Cavalcante | Fortaleza-CE
CEP: 60.810-670

Copyright © 2020 Fortaleza Cidade Amiga
do Idoso. Todos os Direitos Reservados.

Seja um apoiador

Saiba mais sobre os benefícios
de ser um dos Apoiadores do
Fundo Municipal dos Direitos
da Pessoa Idosa – FMDPI.
Clique no link abaixo
para saber mais.

Contato

E-mail:
[email protected]
Telefone: +55 (85) 3013-5797
Endereço: Rua B, 17 – Eng Luciano
Cavalcante | Fortaleza-CE
CEP: 60.810-670

Seja um apoiador

Saiba mais sobre os benefícios
de ser um dos Apoiadores do
Fundo Municipal dos Direitos
da Pessoa Idosa – FMDPI.
Clique no link abaixo
para saber mais.

Links

Siga-nos

Realização

parceiros

Copyright © 2020 Fortaleza Cidade Amiga do Idoso. Todos os Direitos Reservados.

This will close in 0 seconds