Por Ana Clara Jovino 10.02.2021

Há dois anos, em 2018, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estimou que no ano de 2043, o número de pessoas com mais de 65 anos será maior que o número de pessoas entre 0 e 14 anos no Ceará. Sendo assim, a demanda por políticas de assistência voltadas à população idosa, ou seja, ações com o objetivo de incentivar o envelhecimento ativo, saudável e sustentável da população, cresce cada dia mais. A boa notícia é que os últimos anos foram marcados por mais avanços do que retrocessos.

Uma das evidências é que Fortaleza, capital do estado, de acordo com o decreto presidencial que institui a Estratégia Brasil Amigo da Pessoa Idosa, da edição do dia 03 de abril de 2018 do Diário Oficial da União, está numa posição de vanguarda e destaque nas ações que definem a política de assistência à pessoa idosa no Brasil.

Então Fortaleza foi a primeira cidade do Brasil a se enquadrar nas premissas previstas no Decreto Presidencial Nº 9.328, que visa incentivar as comunidades e as cidades a promoverem ações destinadas aos idosos. Enquanto em 2012, as políticas de inclusão para idosos ainda eram insuficientes na Capital, visto que o município oferecia apenas oficinas e grupos de convivência, de todas as determinações previstas na Lei do Idoso.

O resultado positivo se dá porque o projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso, implantado na primeira gestão do prefeito Roberto Cláudio, regulamentou o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDPI) e o Fundo Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (FMDPI).

A Secretária Executiva de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos, Lia Ferreira Gomes, explica que a tendência é ampliar os serviços e promover cada vez mais qualidade de vida aos idosos residentes no Ceará

Esforços para a expansão de políticas públicas para os idosos em todo o estado do Ceará também acontecem.  Em entrevista ao Portal Fortaleza Cidade Amiga do idoso, a Secretária Executiva de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos, Lia Ferreira Gomes, explica que a tendência é ampliar os serviços e promover cada vez mais qualidade de vida aos idosos residentes no Ceará.

Segundo a secretária, um dos maiores desafios é que cada município é executor das políticas, então é necessário que cada um tenha ações e serviços voltados para a população idosa. “O estado vem fazendo um diálogo constante com cada município para que eles sejam promotores da política do idoso. Como essa é uma decisão de gestão, muitas vezes essa política não é entendida como prioritária. Precisamos fazer com que cada município garanta a execução”, revela.

Uma das estratégias do governo é o projeto “Município Cearense Promotor da Política da Pessoa Idosa”, que é executado pela Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para Pessoa Idosa e Pessoa com Deficiência (Copid). Em 2020 o  projeto foi iniciado nas regiões de Jaguaribe e Litoral Norte, que já apresentam boas experiências com a política  do idoso. Mas todos os 184 municípios serão convidados a participar do projeto.  Os municípios de Iracema, Camocim, Limoeiro do Norte, Russas, Cascavel, Itarema, Uruoca já foram certificados e agora discutem com a Copid a execução dos planos.

O projeto certifica o município, seguindo critérios como ter Conselho Municipal do Idoso ativo e um plano municipal com ações obrigatórias para saúde, educação, proteção social, cultura e acessibilidade que deve ser aprovado pelo Conselho e encaminhado ao legislativo municipal.

De acordo com a secretária, foi determinante o estado ter definido dentro de seu arranjo administrativo, coordenações que pensam a política do idoso. Através da Copid, juntamente com o Conselho Estadual, e em diálogo com a Sociedade Civil foi feita uma atualização na Política Estadual, que está na Casa Civil aguardando envio para a Assembleia Legislativa.

Ainda de acordo com Lia, o estado do Ceará tem dentro de suas principais pastas (Saúde, Proteção Social e Educação) coordenações que debatem as temáticas da população idosa, monitoram a política e se articulam entre si.

Além disso, tem o trabalho da Delegacia de Proteção ao Idoso e à Pessoa com Deficiência (DPIPD) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), criada em 2018. “A delegacia especializada trabalha frente às denúncias que têm como vítimas dois públicos considerados vulneráveis: o de idosos e das pessoas com deficiência. Os casos mais registrados são relacionados aos crimes de violência psicológica e exploração financeira”, explica Lia.

Denúncia via disque 100

As denúncias podem ser feitas via disque 100 (canal de denúncias dos Direitos Humanos), diretamente à delegacia especializada pelo telefone (85) 3101-2496 ou pelo e-mail [email protected] O sigilo e o anonimato são garantidos.

Lia Ferreira Gomes, Secretária Executiva de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Secretaria da Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos, foi a convidada do Programa Fortaleza 6.0 do último sábado, 6 de fevereiro. Confira a entrevista completa:

MATÉRIAS RELACIONADAS

logo

Contato

E-mail:
[email protected]
Telefone: +55 (85) 3013-5797
Endereço: Rua B, 17 – Eng Luciano
Cavalcante | Fortaleza-CE
CEP: 60.810-670

Copyright © 2020 Fortaleza Cidade Amiga
do Idoso. Todos os Direitos Reservados.

Seja um apoiador

Saiba mais sobre os benefícios
de ser um dos Apoiadores do
Fundo Municipal dos Direitos
da Pessoa Idosa – FMDPI.
Clique no link abaixo
para saber mais.

Contato

E-mail:
[email protected]
Telefone: +55 (85) 3013-5797
Endereço: Rua B, 17 – Eng Luciano
Cavalcante | Fortaleza-CE
CEP: 60.810-670

Seja um apoiador

Saiba mais sobre os benefícios
de ser um dos Apoiadores do
Fundo Municipal dos Direitos
da Pessoa Idosa – FMDPI.
Clique no link abaixo
para saber mais.

Links

Siga-nos

Realização

parceiros

Copyright © 2020 Fortaleza Cidade Amiga do Idoso. Todos os Direitos Reservados.

This will close in 0 seconds