Musculação e dieta alimentar ajudam na prevenção da sarcopenia

Categorias

Compartilhar

Por Camila Vasconcelos 13/11/2020

A doença atinge 30% das pessoas acima dos 60 anos e chega a atingir 60% das pessoas com idade acima dos 80 anos

A sarcopenia é a diminuição progressiva da massa muscular no corpo. O processo é característico do envelhecimento devido às alterações fisiológicas e é a principal causa das dificuldades de locomoção, das quedas e da desabilidade para a realização de várias tarefas simples do dia a dia percebidas nos mais idosos.

Com o aumento da expectativa de vida do brasileiro, a sarcopenia se tornou um assunto em destaque e atualmente é um dos motivos que mais levam as pessoas a procurar atendimento ortopédico. De acordo com Leonardo Drumond, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot) Regional Ceará, a doença atinge 30% das pessoas acima dos 60 anos e chega a atingir 60% das pessoas com idade acima dos 80 anos.

Ele explica que a sarcopenia pode ser prevenida sem remédios, apenas com a mudança de hábitos. “Assim como toda doença, o recomendado é a prevenção. Para isso, é necessário encarar o envelhecimento e, por isso, é importante buscar qualidade de vida. Todos querem saber a fonte da juventude, mas o que funciona mesmo é praticar atividade física de força e resistência, aliada a dieta balanceada”.

Segundo o ortopedista, as atividades devem ter uma duração média de 150 minutos por semana. “Ao fazer a musculação, os hormônios são produzidos da maneira mais natural, fácil e barata. Essa atividade, além de fortalecer os músculos, também melhora os níveis de massa óssea se tornando o melhor exercício para também evitar a osteoporose. É como uma caderneta de poupança, quanto mais investir com antecedência melhor será para colher no futuro”, explica.

O processo da sarcopenia pode começar a acontecer a partir dos 40 anos. Daí em diante, a média de perda da massa muscular é em torno de 1% ao ano. “Na terceira idade, essa porcentagem é ainda maior em decorrência das limitações físicas, principalmente se o idoso for sedentário e tiver hábitos alimentares ruins”, pontua Leonardo Drumond.

Porém, a sarcopenia não está ligada apenas ao envelhecimento, mas a outros fatores como questões hormonais, perda neuronal, aumento do catabolismo e doenças que envolvem processos infecciosos ou inflamatórios. “Esses fatores também levam a uma perda de massa muscular, muitas vezes de forma mais acelerada e mais grave do que aquela que ocorre no envelhecimento. Em cada pessoa pode acontecer de uma forma diferente pois a sua causa é multifatorial. Por isso, é importante prevenir e sempre buscar o acompanhamento médico”.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico, segundo Dr. Leonardo Drumond, é rápido e pode ser feito no próprio consultório. “Fazemos testes simples para avaliar a força muscular como, por exemplo, o stand up teste, que consiste em colocar o paciente em uma cadeira e pedir para ele se levantar sem usar as mãos, caminhar e voltar para a cadeira em 12 segundos. Quem não consegue, já está feito o diagnóstico da sarcopenia e, nesse caso, já está em estágio moderado e necessita de tratamento específico”. No entanto, ele completa que também pode ser feito um exame mais detalhado que consegue medir o percentual de massa muscular por área corporal e daí fazer um diagnóstico mais específico.

O tratamento se dá por estímulos. “O idoso com sarcopenia precisa do estímulo elétrico. É um tratamento mais complexo. Quando está numa etapa mais avançada, não conseguimos frear a doença, mas é possível diminuir a velocidade e estabelecer um padrão de tratamento. Então, quanto antes procurar ajuda, melhor”, finalizou.

Confira no áudio abaixo a entrevista do ortopedista e traumatologista, Dr. Leonardo Drumond, no dia 24 de outubro, durante o programa Fortaleza 6.0, na Rádio Tempo, 103.9. Se preferir assista no YouTube do Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso.