Por Ana Clara Jovino 23/11/2020

Qual o segredo da longevidade? Como dominar a arte de envelhecer bem? Parecem questões um tanto quanto difíceis de serem respondidas, não é mesmo? Para os que buscam viver muito e de forma confortável, a boa notícia é que essas respostas (ou pelo menos a maioria delas)  podem ser encontradas facilmente no livro Longevidade no Cotidiano: a arte de envelhecer bem, lançado recentemente. A autora do livro é a jornalista carioca Mariza Tavares, responsável pelo blog “Longevidade: modo de usar”, do portal G1.

A jornalista conta que o seu interesse em criar um blog para explanar sobre longevidade teve início quando era diretora-executiva da Rádio CBN e começou a fazer o programa 50 Mais CBN, que coloca em pauta a vida após os 50 anos, junto com os colegas jornalistas Mara Luquet e Alexandre Kalache. Além do momento de vida, pois ela já passou do 50 anos também.

Em seu livro, Mariza aborda temas evidentes quando se trata de longevidade, como saúde e bem-estar, mas também passa por temas como trabalho e educação financeira, que comumente pessoas da terceira idade não são contempladas quando o assunto está em pauta na mídia.

A jornalista explica que o processo de escrita do livro foi tranquilo, já que tem o blog há quatro anos, o que já lhe deu um bom repertório. “Eu já tinha muita coisa arquivada, então foi mais uma organização do conteúdo em pilares para um envelhecimento ativo (saúde, dinheiro, relacionamentos e trabalho) e roteirizar para as pessoas entenderem uma questão tão complexa”.

A relação de médico e paciente é uma das questões tratadas na obra. Mariza explica sobre slow medicine, que deve ser traduzida como “medicina sem pressa”. É uma condução mais cautelosa e ponderada do cuidado médico, levando em consideração os valores, expectativas e preferências do paciente. O tempo é um dos princípios que devem reger a prática médica, justamente para que o paciente seja ouvido e a situação seja avaliada com mais empatia.

Mariza esclarece que em sua pesquisa descobriu que a faixa etária dos idosos que mais recebem medicação é de 70 a 80 anos, são cerca de 15 a 20 remédios diferentes, o que causa reações adversas. “Isso tem que mudar, porque esses idosos não podem sentir tantos efeitos colaterais. Para isso, a mudança de hábitos para viver bem tem que ser dialogada, tem que entrar na conversa no consultório, não adianta só receitar remédios”, enfatiza.

O livro que traz completa abordagem do planejamento para envelhecer bem, destina-se a pessoas de praticamente todas as idades que têm um desejo em comum: viver a melhor idade ativamente e tranquilamente. “Quanto mais cedo você começar a se preparar melhor, mas nunca é tarde para começar”, aconselha Mariza.

No dia 21 de novembro, a jornalista Mariza Tavares foi a entrevistada do programa Fortaleza 6.0, na Rádio Tempo FM, 103,9, conduzido pelo locutor e radialista, Leandro Duarte, e Cel. Sérgio Gomes, coordenador Especial de Idosos da Prefeitura de Fortaleza.

Confira no áudio abaixo a entrevista da jornalista Mariza Tavares, e saiba mais sobre o livro Longevidade no Cotidiano: a arte de envelhecer bem. Se preferir assista no YouTube do Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso.

 

 

MATÉRIAS RELACIONADAS

logo

Contato

E-mail:
[email protected]
Telefone: +55 (85) 3013-5797
Endereço: Rua B, 17 – Eng Luciano
Cavalcante | Fortaleza-CE
CEP: 60.810-670

Copyright © 2020 Fortaleza Cidade Amiga
do Idoso. Todos os Direitos Reservados.

Seja um apoiador

Saiba mais sobre os benefícios
de ser um dos Apoiadores do
Fundo Municipal dos Direitos
da Pessoa Idosa – FMDPI.
Clique no link abaixo
para saber mais.

Contato

E-mail:
[email protected]
Telefone: +55 (85) 3013-5797
Endereço: Rua B, 17 – Eng Luciano
Cavalcante | Fortaleza-CE
CEP: 60.810-670

Seja um apoiador

Saiba mais sobre os benefícios
de ser um dos Apoiadores do
Fundo Municipal dos Direitos
da Pessoa Idosa – FMDPI.
Clique no link abaixo
para saber mais.

Links

Siga-nos

Realização

parceiros

Copyright © 2020 Fortaleza Cidade Amiga do Idoso. Todos os Direitos Reservados.

This will close in 0 seconds