Janeiro Branco promove o Cuidar da Saúde Mental e quebra uma série de preconceitos

Categorias

Compartilhar

Com a virada do ano, muitas pessoas aproveitam para celebrar em família, confraternizar com os amigos ou até mesmo lançar suas metas e objetivos para o ano vindouro, o ano novo que está chegando.

Para tantas outras, no entanto, o período de mudança de ano evoca uma série de sentimentos negativos como tristeza, lembranças ruins, traumas, perdas, vazio existencial e, até me foi relatado outro dia, o aumento da falta de sentido para a vida.

Ainda que seja normal termos momentos altos e baixos ao longo da vida, quando nos sentimos mal por um longo tempo e temos dificuldade de lidar com nossos sentimentos e impressões negativas é chegada a hora de buscar ajuda profissional. Principalmente quando sentimos uma vontade de chorar incessante, vontade de se isolar, pensamentos acelerados ou negativos que não nos dão trégua, coração acelerado, palpitações ou falta de ar, tremores, tontura, dores de cabeça muito fortes, tristeza fora do comum, e até mesmo forte angústia ou crises de ansiedade. Na nossa modernidade, infelizmente, cresce o alerta para as manifestações como o suicídio, a automutilação, o ciber bullying, dentre outros.

Quando chega Janeiro, nós temos a campanha Janeiro Branco, a qual vem ressaltar a importância do cuidar da saúde mental e quebrar uma série de preconceitos como o de que psicólogo ou psiquiatra são médicos de doido, quem toma remédio vai depender deles o resto da vida, o que depressão e ansiedade são frescura, ou são falta de Deus ou até mesmo falta de força de vontade de sair dos próprios problemas.

Ter transtorno ansiedade ou ter depressão são situações que podem ocorrer com qualquer pessoa, são quadros clínicos exatamente como diabetes ou hipertensão, e exigem tratamento adequado conjuntamente de psicólogo e psiquiatra.

Esses profissionais tratam ainda uma série de outros quadros como déficit de atenção, transtornos emocionais, transtorno de pânico autismo, entre outros. Então devemos quebrar o preconceito e buscar ajuda quando realmente precisamos, ou quando estamos na dúvida, além de incentivar nossos amigos e familiares a procurarem cuidar da saúde mental buscando ajuda profissional. Quem cuida da mente cuida da vida!

Pedro Igor Possidonio Almeida, psicólogo,  foi nosso entrevistado no Programa Fortaleza 6.0, na Rádio Tempo, 103.9, no dia 1 de fevereiro de 2020.

Ouça o programa na íntegra no podcast:

 

Saiba mais sobre o Programa de Rádio
O Programa Fortaleza 6.0 tem transmissão ao vivo, todos os sábados, das 10 às 11horas. A programação promove ações do projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso; entrevistas com profissionais que trabalham em prol do envelhecimento saudável e conversas com idosos que são exemplos por saberem conduzir as suas vidas após certa idade com tanta vitalidade, autonomia, disposição e alegria de viver.