Guiado pela avó, atleta do CSU conquista vaga no Basquete Cearense

Categorias

Compartilhar

Por Julyanna Santos 26.02.2021

Marcos da Silva em cesta de três pontos: amor pelo esporte

A Professora Soraya, do Esporte Amigo do Idoso, viu o potencial do garoto Marcos da Silva!

Uma das ações do Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso, o Esporte Amigo do Idoso, já é sinônimo de conquista no Basquete. A Profa. Soraya Rabelo, mestre em Ensino na Saúde – UECE; e Doutoranda Ciências do Desporto – Portugal; conduziu o jovem Marcos da Silva Xavier, de apenas 11 anos, ao Basquete Cearense; representante do Norte-Nordeste, a participar da elite do basquete brasileiro, disputando o Novo Basquete Brasil (NBB), promovido pela Liga Nacional de Basquete (LNB).

Marcos da Silva Xavier, ao levar a avó, Clotilde Xavier da Rocha, para a Natação do Esporte Amigo do Idoso, no Centro Social Urbano (CSU) do Conjunto Ceará, conheceu Soraya Rabelo. A professora, que se divide ensinando basquete e vôlei, percebeu o potencial do jovem atleta logo no início e sua excelente coordenação motora: “Ele desenvolveu bem os fundamentos do basquete, não faltou a nenhuma aula e já no primeiro torneio de basquete, promovido pelo CSU/Nuproce, surpreendeu a todos com uma cesta de 3 pontos”, destacou a Professora.

A seleção para Centro de Formação Olímpica veio na sequência e, mesmo na pandemia, treinava sozinho, todos os dias, incansavelmente, mudando rapidamente para a categoria avançada dos treinos. O treinamento, orientado pela professora Soraya, tinha um único objetivo: participar da “peneira” do basquete cearense.

O teste consistia em duas fases e, mesmo competindo com garotos de 14 anos, ele deu o melhor de si e conseguiu a tão almejada vaga. A professora, claro, orgulha-se ao falar do Marcos: “ele fez todos os treinos, com perseverança e confiança. No dia do teste, mostrou controle e tranquilidade ao executar as atividades solicitadas, mesmo estando diante de garotos bem maiores que ele.”

O Portal do Projeto Fortaleza Amiga conversou com o atleta de 11 anos sobre futuro, o início profissional e o apoio dos pais.

Portal – Como foi o início no basquete?

Marcos da Silva – Fui um dia ao CSU, com minha avó, e vi uns garotos jogando basquete. Me apresentei, e, logo em seguida, eles me indicaram à Professora Soraya Rabelo. De cara, nos demos bem.

Portal – Como foi o teste para o Basquete Cearense e qual a frequência de treinos?

Marcos da Silva – O teste foi dividido em duas etapas. Primeiro eles testaram a capacidade de comunicação e depois, habilidades e capacidade de jogar em grupo. Lá, jogo com mais 16 meninos duas vezes na semana. Também jogo na escolinha Carcará e no CSU.

Portal – Você sonha em ser atleta profissional?

Marcos da Silva – Sim! Sei que tenho um longo caminho pela frente mas sonho sim! Um dia, serei!

Portal – Sua família o apoia? E à professora Soraya, incentivadora dessa conquista,  o que você tem a dizer?

Marcos da Silva – Meus pais e meus irmãos me apoia sim! Sou muito feliz! Para a Professora, envio todo meu carinho. Aquilo que começou em 2019, agora virou uma amizade, e desejo que ela conquista tudo que sonhar pois sei que ela faz o que gosta.