“É preciso ter um propósito de vida”, afirma especialista!

Categorias

Compartilhar

Por Julyanna Santos – 02.07.2021

O Programa Fortaleza 6.0, programa de rádio do Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso, com transmissão pela Rádio Tempo Fm, 103.9, recebeu, dia 26 de junho, o Presidente do Centro Internacional de Longevidade Brasil (International Longevity Centre Brazil) e co-diretor da Age Friendly Foundation e Gerontólogo, Alexandre Kalache. O programa, também transmitido pelo Youtube do Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso, teve como tema envelhecimento saudável e longevidade. 

Alexandre Kalache: “Envelhecer é bom, morrer cedo é que é não presta!”

O bate-papo, mediado pelo Gestor da Coordenadoria do Idoso da Prefeitura de Fortaleza, Cel. Sérgio Gomes, apresentou, para a audiência, os diversos aspectos para uma vida longeva e feliz, dentre eles: propósito de vida, boa autoestima e o cuidado com a saúde.

A ideia de que envelhecer torna a pessoa incapacitada e mais suscetível a doenças está ultrapassada e por isso, segundo Kalache, é comum vermos sujeitos integrados, de maneira ativa e comprometida, com os rumos de suas vidas. “A prática de atividade física, engajamento social e político, além da autonomia nas ações e desejos, são alguns dos fatores que tornam os idosos, parte importante de uma sociedade cada vez mais fluida”, destacou na em sua entrevista.

Segundo estimativas divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 22 anos – 2043 –, idosos com mais de 65 anos serão mais numerosos que jovens entre 0 e 14 anos no Ceará.

O envelhecimento é um processo natural, mas que ainda carrega muitos estigmas que são perpetuados na sociedade. O chamado “idadismo” é um dos perigos mencionados na entrevista. O idadismo é o preconceito baseado na idade que ocasiona diferentes formas de discriminação. Essa forma de opressão emerge como problemática das relações entre velhice e subjetividade.

Para o médico Alexandre, todos devem lutar contra este preconceito.  “O preconceito corrói e faz com que a velhice possa ser uma etapa da vida muito triste em que você é maltratado, negligenciado, abusado, e passado para trás”, conclui.

Para dar a volta por cima e garantir um envelhecimento ativo e com saúde, são listados quatro pilares fundamentais que auxiliarão na conquista de uma maior qualidade de vida. São eles:

1) Saúde. Cuidar da saúde e ter acesso à profissionais que realizem o monitoramento e  a preservação da saúde – tanto física quanto psicológica – do idoso são fatores fundamentais e que farão uma grande diferença no em seu bem-estar e em sua autoestima. Também se inclui uma boa nutrição e a prática de exercícios físicos regularmente;

2) Conhecimento. Como colocado na entrevista, “a tecnologia não vai te dar moleza”. Portanto, é importante sempre se manter curioso e buscar aprender coisas novas, pois o conhecimento garante novas formas de integração na sociedade. E, de quebra, você poderá realizar atividades prazerosas para se passar o tempo.

3) Participação. Alexandre destaca o valor em se ter uma atitude de abertura, mais leve e otimista. Se permitir conhecer pessoas novas e fazer parte de novos círculos sociais. Fazer novos amigos, sorrir mais. O convívio social é um fator que está interligado à saúde mental. “Adulto ranzinza ninguém gosta e velho ranzinza ninguém atura!”, brinca.

4) Segurança. Pouco adianta se empenhar nos três primeiros pilares se faltar a proteção. Para tal, é necessário a implicação de políticas públicas que garantam direitos de proteção ao idoso. Isso inclui formas de se denunciar violências e garantir que elas não ocorram novamente. Manter laços familiares fortes também é uma alternativa para que o idoso se sinta seguro.

A mensagem de Alexandre é otimista, e afirma que os quatro pilares só surtirão efeito caso o idoso tenha um propósito. “Você tem que ter o ânimo de sair da cama sabendo que fará uma diferença para o bem, nem que seja para você ou só para sua família, ou para a comunidade. Esse propósito de vida é que nos faz pensar “poxa, que legal, eu continuo vivo!”.

Para assistir a entrevista completa na íntegra, você pode acessar o link: https://www.youtube.com/watch?v=vzi-gYJMF2Q

Veja também: O luto: suas nuances, desafios e como superá-lo!

Mais de 80% das denúncias de violência contra idosos formalizadas no Ceará são de autoria de pessoas próximas da vítima

Projeto Fortaleza Cidade Amiga do Idoso na vanguarda do cultivo sustentável com ampliação de hortas sociais